Como eu conheci meu marido depois da graduação: 7 partilhas de mulheres católicas




Tradução do original "How I met my husband after graduation: 7 catholic women share", de Courtney Kissinger, do Blog Life Teen.


Pergunta: Estou prestes a me graduar na faculdade e continuo solteira. Muitos de meus amigos estão em relacionamentos sérios ou ficando noivos. Eu tenho medo de que passarei por tempos difíceis para encontrar alguém uma vez que estarei fora da universidade. Você tem algum conselho?

Resposta: Meu grande conselho é que você continue crescendo na fé e nunca subestime o que Deus tem reservado para você.

Eu tinha 29 anos quando tive meu primeiro encontro com o Brian, então eu soube quão fácil pode ser imaginar se (e como) eu nunca encontraria a pessoa que Deus estava preparando para mim.

Como eu estava vendo cada vez mais amigos se casando, eu fiquei impressionada como cada uma de suas histórias era única. Eu comecei a ver que Deus não tem um mesmo plano usado para todo mundo encontrar seu cônjuge.

Não há um caminho para saber se hoje é o dia que você vai conhecer seu futuro esposo. O que você sabe é que você pode escolher se aproximar de Deus a cada dia (Tiago 4:8) e confiar com alegria nos planos que Ele tem para sua vida (veja Filipenses 4:6-7 e Jeremias 29:11).

Para mostrar quão imprevisivelmente boas são as direções de Deus, muitas de minhas amigas e eu (todas mães hoje) compartilhamos as histórias de como conhecemos nosso futuro marido.

Eu conheci meu futuro marido...

No Retiro

"Apesar de eu não saber disso na época, Brian me viu pela primeira vez do lado de fora da escola primária onde lecionava. Ele foi buscar os sobrinhos na escola um dia e os perguntou quem eu era. Um deles disse que eu era sua professora de matemática. Na semana seguinte, durante a classe, a sobrinha me disse que seu tio tinha me visto e gostado de mim. Pensando que esse "tio"  soou como assustador e assediador, eu lhe disse que isso era inapropriado para se dizer a uma professora! Meses depois, Brian me viu de novo em um retiro de jovens adultos que nós dois estávamos fazendo. Ele desajeitadamente se apresentou e tentou explicar que ele não tinha a intenção de que sua sobrinha me dissesse algo. Fiquei aliviada ao descobrir que ele não era, na verdade, um stalker*. Alguns meses depois ele enviou-me uma mensagem ao meu email do trabalho dizendo que tinha uma questão de matemática...'qual seu número de telefone?'. Nós nos casamos cerca de um ano depois. Ao encontrar Brian, eu percebi que os planos de Deus para minha vida eram muito melhores que quaisquer planos que eu tinha imaginado anteriormente"

- Courtney Kissinger, casada cinco dias antes de completar 30 anos

No Aeroporto


"Eu tinha 26 quando combinei de encontrar alguns amigos da pós graduação para um fim de semana em Las Vegas. Um homem me abordou enquanto estávamos esperando por nosso voo e falou comigo por 20 minutos antes de embarcarmos. Saímos sem trocar informações, e não sabendo que estaríamos no mesmo vôo de volta dois dias depois. Nós não nos vimos em Las Vegas,  todavia quando nos encontramos com nossos respectivos amigos naquela noite, nós dois falamos a eles sobre essa pessoa que conhecemos no aeroporto, o que mostra que ali houve um interesse mútuo. Nós conversamos por duas horas enquanto nosso voo estava atrasado. Ele me fez rir o tempo todo e eu sabia que Deus planejava algo de muito especial quando descobrimos que nossos assentos eram um ao lado do outro durante as quatro horas de voo. Ele me convidou para sair na metade do caminho do voo e nós tivemos nosso primeiro encontro quatro dias depois. Nós ficamos noivos um ano depois e nos casamos um ano após o noivado. Nós ainda estamos voando nas nuvens!"

- Lindsay W., se casou aos 28

Na festa de Natal

"Quando eu me graduei na faculdade, muitos de meus amigos estavam se casando. Todavia, isso não era o plano de Deus para mim. Eu me mudei para Washington D. C. e comecei minha carreira ali. Houve momentos que eu pensei que não deveria me casar (embora fosse o desejo de meu coração) porque eu não havia encontrado o cara certo. Aos 33 anos me converti ao catolicismo. Alguns meses depois eu disse ao meu diretor espiritual que se o homem que eu fosse casar não fosse escolhido por Deus, então eu não seria feliz, e que eu seria mais feliz solteira do que casada com a pessoa errada. Meu diretor espiritual disse: 'Melhor solteira e desejando estar casada do que casada e desejando estar solteira'. Pura verdade! Ironicamente, um mês depois, eu conheci o cara certo. Eu tinha conhecido alguns amigos católicos que acabaram me convidando para uma festa de natal. Eu conheci meu futuro marido ali. Nosso segundo encontro foi a Missa e um café e nós soubemos no nosso terceiro encontro que seria assim. Deus me esperou ser católica para conhecer o cara certo. E Ele também esperou até que eu entregasse meu futuro a Ele. Vinte e um anos e cinco crianças depois eu verdadeiramente posso dizer que meu marido é a pessoa certa para mim. Eu tinha 35 anos quando me casei (quase 36) e meu marido tinha 37 (quase 38). Nós tivemos nosso último filho quando eu tinha 47 e ele 49. Deus tem um grande senso de humor, e Ele sempre sabe o que é melhor para a gente!"

- Susie M., se casou aos 35

Online


"Eu gastei meus vinte anos construindo uma bela e interessante vida - fazendo amigos, voluntariado, me envolvendo com a igreja, e o mais importante, me aprofundando no meu relacionamento com Deus. Eu também gastei uma boa parte do meu tempo rezando e esperando (às vezes impacientemente) pelo meu marido. Eu me perguntava se Deus havia se esquecido do meu sonho de ser esposa e mãe. Então eu fiz o que muitas mulheres da era moderna fazem - paqueras* online!
Aos 27 conheci um homem pela internet e flertamos por alguns meses antes de terminarmos nosso relacionamento - alguma coisa não estava legal, apesar dele ter sido gentil, honesto e católico. Alguns anos depois, nós nos pusemos em contato de novo via Facebook e as coisas simplesmente se encaixaram. Nove meses depois ficamos noivos, e nove meses depois do noivado nos casamos. Nós agora temos um lindo filho. Este não foi o caminho que eu vislumbrei para  mim - eu estava a caminho dos trinta e, vários anos mais tarde do que eu esperava, conheci meu marido online! Mas eu não trocaria os meus tempos de vinte anos sabendo o que eu sei agora. Não foi sempre fácil, mas eu ter cumprido minha vida de solteira me fez uma melhor mãe e esposa hoje"

- Rebecca C., se casou aos 30

Fora do meu apartamento

"No meu 31º aniversário, após ficar solteira por quase uma década, eu havia chegado a conclusão de que talvez eu nunca me casaria ou teria filhos, e eu estava em paz com isso. Então um dia, aconteceu de eu encontrar este cara fora do meu prédio, enquanto eu saía para jogar algo fora. Eu estava completamente desajeitada - suada e sem maquiagem. Fiquei sabendo que ele tinha acabado de se mudar para o prédio e seu apartamento ficava no mesmo andar que o meu. No momento em que fiz 32 nós estávamos noivos e hoje, aos 34, nós temos dois filhos e um casamento feliz. Os planos de Deus definitivamente não são os mesmos que os meus. Eu queria me casar com um cara que não fosse careca e que fosse católico praticante. Meu marido é careca e se converteu ao catolicismo antes de nos casarmos. Olhando para trás, eu vejo que eu necessitava de todo este tempo de solteira para construir minha autoestima, minhas ideias e, o mais importante, meu relacionamento com Cristo. Eu sou muito grata por ter tido tempo de construir amizades e ir a missa diariamente. Eu valorizo aquela época e hoje estou confiante na minha vocação"

- Jéssica B., se casou aos 32

Na casa do meu irmão


"Desde criança eu sonhava em me casar e ter filhos. Depois de quase 30 anos de casamento, eu tenho certeza que Deus teve Suas razões para me fazer esperar até os 30 para conhecer meu marido. Depois de lecionar por muitos anos e ter conhecido diferentes caras, eu não estava muito segura de que o cara certo chegaria. Numa tarde de domingo, minha mãe tinha me encorajado a visitar meu irmão em sua casa nova. Sem que eu soubesse, ele havia convidado alguns amigos para visitá-lo, entre eles um vizinho de 34 anos. No momento em que meu irmão nos apresentou, eu soube que este era o cara que Deus tinha reservado para mim. Nós conversamos por horas, e ficamos indiferentes às pessoas que nos cercavam. Fé, família e valores semelhantes se evidenciaram entre nós imediatamente (incluindo uma atração mútua). Ele me pediu em casamento cerca de três meses depois e, em menos de um ano, já estávamos casados"

- Mary Lee F., se casou aos 30

Numa festa...e então o hospital

"Durante meus 20 e começo dos 30 eu estava me tornando duvidosa se ainda me casaria. Quantos terços e novenas eu já havia feito? Eu conheci meu marido em uma festa organizada por um grupo de mulheres católicas em 9 de Junho de 2012. Nós saímos uma vez, mas o segundo encontro só foi acontecer sete meses depois. Meu marido sofreu um péssimo acidente de moto e eu decidi vê-lo no hospital. Nós ficamos amigos no hospital e, alguns meses depois, meu marido me chamou para sair de novo. Ele sempre diz que não se arrependeu de me chamar para sair de novo depois de nosso primeiro encontro - não que eu o tivesse lembrado disso ou nada do tipo (eu lembrei!). No fim, eu aprendi que o tempo de Deus é sempre perfeito em termos que nós nunca iremos compreender. No intervalo entre nosso primeiro e segundo encontro, meu marido me pediu em casamento em 8 de Junho de 2013 - quase um ano após nos conhecermos"

- Erin B., se casou aos 34


Notas de Tradução:
*stalker: perseguidor, assediador, alguém que fica "correndo atrás" desesperadamente de uma pessoa
*no original estava dating: encontro, paquera, conquista, galanteio, flerte, côrte



You Might Also Like

5 comentários

  1. Difícil crer quando é VOCÊ quem está no tempo de espera e vendo todas as outras felizes e você chupando dedo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Mira, realmente pode ser difícil. Mas acredito que Deus prefere que nós estejamos dispostos a colaborar com Ele no seu plano de levar um outro "alguém" a verdadeira felicidade.
      Se for assim, é importante que a gente seja feliz primeiro, não acha?
      Em outras palavras, não casamos pra sermos felizes, mas é porque somos felizes que casamos... compartilhar uma felicidade. Entende?
      Cresci muito ao ver a coisa dessa forma.
      Deus abençoe você, abraço!

      Excluir
    2. Amada Mira! Sei o quanto é difícil ver a felicidade de todos a sua volta e continuar chupando dedo!

      Mas lembre-se sempre, vc é uma filha mto amada de Deus! Confie nisso, e tenha certeza que Ele ouve suas orações. Aproveite seu tempo de solidão para se encontrar com Deus, e passe a louva-lo pelo tempo que Ele lhe dispões para vc encontrar cm Ele.
      Tenho 33 anos, e minha conversão aconteceu aos 29. Sempre fui católica, mas nunca pratiquei, sempre busquei as coisas de Deus qdo precisava, assim como se liga para o 190 qdo estamos em apuros.
      Então, depois de passar por um deserto de 1 ano e meio de desemprego, começei a questionar o pq de tudo errado em minha vida. E fui descobrindo que eu queria tudo que Deus tinha prometido para mim... mas procurava nas coisas do mundo. Bebia... fumava... vivia uma vida sem limites, sem pudor ou castidade... e descobri, como muita oração e comunhão, que isso não fazia parte da promessa de Deus para mim.

      Renunciei tudo... bebedeira, balada, amigos do mundo... e me coloquei a orar e servir a Deus.
      Hj cm 33 anos, estou noiva, depois de 2 anos de namoro.

      Descobri para querer um JOSÉ (São José, Fiel Esposo) eu preciso primeiro ser como Maria (Virgem Maria, Filha Fiel).

      Deus te abençoe e Maria passe na Frente de sua Vida!

      Excluir
  2. Acredito que o mais importante para quem espera, é compreender que nossa felicidade depende acima de tudo do amor à Jesus, antes de procurar qualquer amor humano, a fim de que não busquemos no outro aquilo que só Deus pode nos dar. Aprendamos a amar mais a Jesus, e amar mais as pessoas por amor à Ele, a fim de que nossa espera não se converta em uma busca errada ou egoísta. Que o tempo de espera seja um tempo de amadurecimento e aperfeiçoamento do nosso modo de amar, pois o amor exige sacrifícios, e precisamos estar preparadas para amar verdadeiramente. Santa Gianna também casou-se com idade, e inclusive considerou a possibilidade de vocação religiosa, e olha, ela viveu santamente! Sua história não é muito diferente da de tantas mulheres... ainda que leve um tempo para descobrirmos e encontrar nossa vocação ou a "pessoa certa" , o tempo de espera não será em vão se não perdermos de nossas mentes a finalidade de nossas vidas: amar à Deus! Buscar amar Jesus sempre mais, é o sentido de nossas vidas... fazer tudo por amor à Ele... assim nada será em vão!

    ResponderExcluir
  3. Lê, sua lindaaaa!
    Que texto! Obrigada por trazer até nós <3

    Estou chegando nos 30 e não pude segurar a emoção ao ler cada palavra... Mas Jesus não mentiu para nós "Quem quiser me seguir, pegue sua cruz e siga-me!"

    Eis nossa tarefa árdua nessa terra.

    O casamento é um meio e não o fim, o FIM é outro. E quando isso fica mais claro para a mulher católica, que hoje sofre para se livrar das amarras do feminismo e ao mesmo tempo sofre para recuperar sua feminilidade a tempo para quem sabe assim conseguir casar com um homem digno, o tempo da espera fica mais leve, ou menos pesado.

    Quando Nosso Senhor Jesus Cristo é o foco e a razão de viver, você suporta a ideia de esperar a vida toda, porque entende que Ele sendo o fim, mesmo não vindo a casar, sua dor da espera tem valor aos olhos Dele.

    Ele é TUDO! Nossa alegria!
    Só Ele basta!
    Com Ele seremos felizes, casando ou não casando...!

    Obrigada mais uma vez!

    ResponderExcluir