Vocação, uma aventura que vale a pena!




Por Aryane Paula Prado

“Queridos jovens, a felicidade que buscais, a felicidade que tendes o direito de saborear, tem um nome, um rosto: o de Jesus de Nazaré, oculto na Eucaristia. Só Ele dá plenitude de vida à humanidade. Dizei, com Maria, o vosso ‘sim’ ao Deus que quer entregar-se a vós. Repito-vos hoje o que disse no princípio de meu pontificado: Quem deixa entrar Cristo na sua vida não perde nada, nada, absolutamente nada do que faz a vida livre, bela e grande. Não! Só com esta amizade se abrem de par em par as portas da vida. Só com esta amizade se abrem realmente as grandes potencialidades da condição humana. Só com esta amizade experimentamos o que é belo e o que nos liberta. Estai plenamente convencidos: Cristo não tira nada do que há de formoso e grande em vós, mas leva tudo à perfeição para a glória de Deus, a felicidade dos homens e a salvação do mundo”. (Papa Bento XVI)

Convidada pela Letícia a escrever para vocês sobre vocação, sobre o convite do Bom Deus que existe inscrito em cada uma de nossas almas para fazer a Sua Vontade e assim sermos plenamente felizes, não pude deixar de lembrar-me destas belas palavras do Papa Bento XVI. Não há como falar de vocação, sem antes tomarmos consciência de que a nossa vida, dom maior que recebemos de Deus, só ganha verdadeiramente sentido quando encontramos o caminho que Ele mesmo pensou para nós e que é de fato, caminho de felicidade, no qual, como diz nosso querido Papa, Jesus não nos tira nada e sim, oferece o que há de melhor e mais seguro nesta vida, a Sua Vontade.

Acredito que você, buscando e lendo os artigos que aqui são escritos, busca direcionamentos para sua vida em todas as áreas, busca aprofundar seus conhecimentos sobre a Doutrina de nossa amada Santa Igreja. Meu objetivo se mostrou então, na minha oração a Deus para escrever estas linhas, gerar inquietação em seu coração, que claro, não acontecerá pela força de persuasão de minhas palavras e sim, pela ação da própria graça de Deus, que é de fato, o mais interessado na sua busca pela Vontade Dele. Tomo a liberdade de fazê-la se questionar, não importando a fase da vida em que se encontra: o que venho escolhendo para minha vida? As decisões que tomei e que venho desejando tomar, são decisões feitas em Deus? Busco, na minha oração, conhecer o que Ele tem para mim, para minha vida? Já parei para pensar nisso? Se sim, o que venho fazendo de concreto para ir em busca daquilo que Ele já mostrou ser Sua Vontade?

Vejo constantemente, por experiência pessoal, que podemos passar longos anos de caminhada, de busca pela santidade, mas sem enxergar que temos a nossa vida ainda presa nas mãos, como a criança que ganhou um lindo presente, mas que por medo de perder ou de ser roubada, não fica sem ele um segundo, guarda-o para si. Te convido a entregar a Deus o mais belo presente que Ele te deu, para assim, ser de fato feliz. Convido também a todas que já descobriram a sua vocação a repensar no lugar que Deus continua tendo em sua vida, seja de consagrada, seja de leiga, sendo esta casada ou solteira esperando pela pessoa certa, dada pelo Senhor. A verdade é que um coração de fato desejoso da santidade, está sempre inquieto, se questionando com relação a sua vida, suas escolhas. É isto que o próprio Deus me lembrou, quando me pus a escrever para vocês.

Acredito que este itinerário de discernimento vocacional, no qual colhemos na escuta de Deus e em nossa história os sinais do desejo do Bom Deus para as nossas vidas, não pode ser feito sem antes pensarmos sobre a nossa vida de oração, de intimidade com Deus. É nela em que tudo começa, afinal, nunca poderemos ouvir o convite de Deus se não nos colocarmos para ouvi-Lo. A nossa Igreja e os santos nos ensinam este caminho, então quero contribuir para crescermos juntas neste trato de amizade com Àquele que deseja ardentemente falar ao nosso coração.


Desejo também, da forma que se mostrar mais adequada e aqui aceito sugestões e contribuições, tratar sobre os ensinamentos da Igreja com relação à vocação, nas diferentes formas de vivê-la. Quero auxiliar também com o meu testemunho! Tive a graça de viver por dois anos como religiosa, vivendo a Regra de Vida do Carmelo. Desejando buscar a Vontade de Deus, tive o grande presente de me aproximar deste lindo carisma, que me levou a querer experimentá-lo com mais intensidade e abandono. Ao longo do período de formação, já dentro do Convento, fui percebendo que não era esta a escolha definitiva que Ele tinha para mim e hoje posso partilhar um pouco com vocês sobre esta experiência de vida religiosa.

Digo e quero sempre repetir: vale a pena dar o melhor da nossa vida a Deus! Existe uma música da cantora católica Suely Façanha que diz: “Tua Vontade em mim, é como um tesouro, em vasos de argila... Verdadeira paz, que o tempo e a dor não poderão roubar...” Percebo na minha vida e na dos consagrados que tive a graça de conhecer que nada daquilo que foi o próprio Deus desejou para nós, pode ser roubado, nem o tempo e os mais duros sofrimentos. Sempre valerá a pena e a alegria de doarmos a Deus o que de graça recebemos, é muito mais proveitosa e fecunda do que qualquer sucesso seja profissional, afetivo ou em outras áreas, alcançados pelas próprias forças, sozinhas.

Que neste mês, no qual toda a Igreja reza pelas vocações, se inicie um tempo novo em nossas vidas. Que nos abramos a descobrir a nossa vocação! Sejamos também, fortalecidos no SIM que um dia dizemos a Deus. Que Santíssima Virgem nos ensine este caminho de entrega, renúncia, de caminho certo de felicidade. Ela que tudo soube ofertar a Deus, sem reservas, é nossa amiga neste tempo e sempre será. Confiemos nossa vida, nossas esperanças, desejos e sonhos à Ela, nosso poderoso auxílio. “Rogai por nós Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignas das promessas de Cristo!”



You Might Also Like

0 comentários