Casamento e Família, do Papa Pio XII - Projeto "Livro Aberto"

Não pense que nosso blog se tornou um depósito de fichamentos :P
É que estamos lendo livros muito bons e necessitamos compartilhá-los :)

O fichamento de hoje é um presente da Castela Editorial para o blog.



"Casamento e família" contém um compilado de discursos do Papa Pio XII traduzidos e ordenados por temas. As orientações do pontífice perpassam conselhos a namorados, noivos, casados, família, moças, moços - pessoas vocacionadas a viver como leigos no mundo e a contraírem matrimônio. Custa R$29 e pode ser comprado pelo site da editora.


"Quem cumpre fiel e diligentemente os deveres de estado é imaculado diante de Deus. Deus não chama todos os seus filho ao estado de perfeição, mas os convida todos à perfeição do próprio estado" (p. 12)

"Ouve-me, eu te mostrarei sobre quem o demônio tem poder: são os que se casam, banindo Deus de seu coração e pensamento" (Tb 6, 16-17)

"Não vos esqueçais de que o amor cristão tem um fim muito mais elevado que uma mera satisfação fugaz" (p. 13)

"Quanto mais santa e isenta de pecado for a vossa união, tanto mais vos abençoarão Deus e Sua Mãe puríssima, até o dia em que a Bondade Suprema unir para sempre no céu aqueles que se amaram cristãmente na Terra" (p. 13)


- Umas das promessas de Jesus sobre seu Sagrado Coração é:
"Onde quer que se exponha a imagem deste coração para receber honras especiais, ela atrairá todo tipo de bençãos"
"Honrada" significa que diante da preciosa estátua ou modesta imagem, a mão cautelosa colocará, ao menos de vez em quando, algumas flores, acenderá uma vela ou conservará, como sinal constante de fé e amor, a luz de uma lâmpada. É neste lugar, diante do Sagrado Coração, que todas as noites se reunirá a família para um ato coletivo de ação de graças, uma humilde oração de penitência, e um pedido de novas bençãos" (p. 17)
Afasta-se do lar tudo o que entristece o Sagrado Coração: lazeres perigosos, infidelidades, intemperanças, livros, revistas e imagens hostis à religião, maneiras de andar entre a verdade e o erro.

"Assim as mulheres hão de desejar que seus maridos, tal como as frutas, sejam conservados pelo açúcar da devoção, pois o homem sem devoção é um animal severo, áspero e rude, e os maridos devem desejar que suas mulheres sejam devotas, porque sem a devoção a mulher se torna extremamente frágil e sujeita a cair ou desonrar a sua virtude" (Filoteia, parte III, cap 38)

"Se todos os cristãos devem, sem negligenciar, a oração individual, dedicar uma parte de suas vidas à oração em comum - o que lhes recorda que são irmãos em Cristo e estão obrigados a salvar as suas almas não de forma isolada, mas ajudando-se mutuamente -, quão maior razão não há para que os esposos não se afastem nem se separem como eremitas em meditação solitária, a ponto de chegarem a se  reunir só raramente diante de Deus ou do altar! Ora, onde os vossos corações, inteligências e vontades encontrarão maior intimidade e gozarão de uma união mais profunda, forte e sólida do que na oração a dois, na qual a mesma graça divina descerá do céu para harmonizar os vossos pensamentos, desejos e afetos?" (p. 20/21)

- Sobre combater a imoralidade:
"Vossas armas serão a palavra e o exemplo, a cortesia e a perseverança, elas dão testemunho aos outros de vosso comportamento, que vos honra, e de vossa atividade, que demonstra que esse comportamento é possível e louvável" (p. 35)

"A pureza das almas que vivem da graça sobrenatural não se conserva nem se conservará jamais sem combate" (p. 35)

- Sobre a moda:
"Deus não vos pede para viver fora de vosso tempo, indiferentes às exigências sociais a ponto de tornar-vos ridículas, vestindo-se em oposição ao gosto comum e às práticas de vossos contemporâneos, sem considerar o que agrada" (p. 38)

"Quando a mulher usa adornos que são decentes, em harmonia com sua posição e dignidadem e quando segue com medida os costumes do país, então se adornar também é um ato da virtude da modéstia, que influencia o modo de andar, se comportar e se vestir, ou seja, todas as manifestações externas. Em moda, a virtude é a senhora do equilíbrio. O que Deus pede é que sempre vos lembreis de que a moda não é, e nem deve ser, a regra suprema da conduta; que acima da moda e de suas exigências existem leis mais altas e imperiosas, princípios superiores e imutáveis..." (p. 38)

"Ninguém enxerga que existe um limite que nenhuma moda pode ultrapassar, um limite além do qual a moda se torna fonte de ruina para a alma, a nossa e a dos outros?" (p. 39)


[Obs: Toda a catequese sobre moda é excelente e torna-se quase impossível a tarefa de transcrever os melhores trechos]


- Sobre o matrimônio:
"Ali se manifestou a vossa dignidade humana em toda a grandeza de seu livre arbítrio, mas naquele exato momento fundastes uma família" (p. 43)

"Muitas vezes o marido e a mulher exercem profissões similares, e contribuem para o trabalho pessoal quase com a mesma quantia ao orçamento familiar, ao passo que esse mesmo trabalho os leva a ter uma vida independente um do outro. Enquanto isso, como os filhos que Deus lhes enviou são vigiados, cuidados, educados e instruídos? Nós os vemos, não diríamos abandonados, mas geralmente confiados a mãos estranhas cedo demais, formados e instruídos por pessoas que não são a mãe, a qual, por sua vez, está afastada deles pelo exercício da profissão. Por que então se espantar com o enfraquecimento e perda do sentido de hierarquia na família, se a autoridade do pai e a vigilância da mãe não conseguem tornar alegre e afetuosa a convivência doméstica?" (p. 45)

- Sempre existirão adversidades e problemas, por mais santos que sejam os esposos, mas cabe confiar em Deus e fazer o possível para superar tudo com amor.

- Tomar cuidado com o egoísmo e amor-próprio que surgirão no casamento ao longo dos anos. Amar é doar-se!

"Como pode o amor conjugal simbolizar tal união [indissolúvel e inseparável], se ele estivesse deliberadamente limitado, condicionado, sujeito à dissolução, mera chama de amor temporário?" (p. 128)



- Para os pais:
"Se as ordens e as reprimendas aos vossos filhos surgem das impressões momentâneas, de um movimento de impaciência, de uma imaginação ou de um sentimento, cegos ou impensados, as vossas ordens serão na maioria das vezes arbitrárias, incoerentes, injustas e talvez inoportunas. Hoje usareis de uma exigência excessiva, de uma severidade implacável; amanhã deixareis passar tudo. [...] Por que não conseguis dominar os movimentos do humor, acabar com a volubilidade e controlar-vos, enquanto tentais orientar vossos filhos? Não vos sentis plenamente na posse de vós mesmos? Adiai para um momento mais oportuno a reprimenda planejada ou a punição que pensais em infligir. A firmeza serena e tranquila do espírito dará à palavra e ao castigo uma eficácia bem distinta, uma influência mais benéfica e uma autoridade mais real que as faíscas de uma paixão indisciplinada. [...] Evitai assim tudo o que possa diminuir vossa autoridade sobre eles. Evitai desperdiçar essa autoridade pelo hábito de recomendações contínuas e insistentes que se tornam maçantes; eles fingirão não escutar nem darão nenhuma importância. Evitai iludir vossos filhos ou enganá-los alegando razões ou explicações falaciosas e vazias, dadas ao léu, para vos livrar do problema e escapar de perguntas incômodas. Se não vos parece oportuno expor-lhes as verdadeiras razões sobre uma ordem ou um fato, é melhor usar da confiança que eles depositam em vós e no vosso amor. Não adultereis a verdade; se for preciso, calem-na; não imaginais talvez os distúrbios e as crises que podem surgir nessas pequenas almas no dia em que descobrirem que abusaram de sua credibilidade natural" (p. 54/55)

"Não deveria, contudo, o amor estar acompanhado do bom exemplo? [...] Como os filhos aprenderão a obedecer se sempre escutam em casa críticas desrespeitosas às autoridades? Como aprenderão a obedecer se notam que os pais são os primeiros a desobedecerem os mandamentos de Deus ou da Igreja?" (p. 56)

"Desde o berço deveis iniciar a educação não só corporal, mas também espiritual, porque se não os educardes, eles mesmos se educarão a si, bem ou mal. Recordai que muitos traços, até morais, que vedes no adolescente e no homem adulto, têm realmente origem nas formas e circunstâncias do crescimento físico na primeira infância: hábitos puramente orgànicos contraídos nessa fase talvez se tornem um duro obstáculo para a vida espiritual da alma" (p. 66)

- Marido e mulher devem ser os melhores amigos um do outro. Inclusive, devem procurar, por caridade, se interessarem pelos gostos um do outro:
"A indiferença e a negligência talvez sejam as piores formas do egoísmo humano. Nada vos facilitará tanto as confidências mútuas como o interesse verdadeiro, simples, sincero, cordial e manifesto pelos desejos da pessoa com quem compartilhais a vida" (p. 79)



You Might Also Like

0 comentários