Celebrando o Natal - Cantos natalinos

  • 11:41
  • By Modéstia e Pudor - Colaborador
  • 0 Comments




O Papa Bento XVI orienta: “Na arte da celebração, ocupa lugar de destaque o canto litúrgico. [...] Enquanto elemento litúrgico, o canto deve integrar-se na forma própria da celebração, … desejo – como foi pedido pelos padres sinodais – que se valorize adequadamente o canto gregoriano, como canto próprio da liturgia romana” (Sacramentum Caritatis, 42).

Elencamos alguns cantos com o tema de Natal para que possamos nos preparar para a vinda do Menino Deus.

Que a beleza que vem de Deus nos contagie!



Veni Veni Emmanuel

É um hino latino do século XII que compõe uma síntese das Antífonas Maiores do Advento, as chamadas Antífonas Ó. Observe que cada estrofe traz um dos títulos dados ao Messias

LETRA (Latim):

Veni, veni, Emmanuel
Captivum solve Israel,
Qui gemit in exsilio,
Privatus Dei Filio.

R: Gaude! Gaude! Emmanuel,
Nascetur pro te Israel!

Veni, O Iesse virgula,
Ex hostis tuos ungula,
De spectu tuos tartari
Educ et antro barathri.

Veni, veni O Oriens,
Solare nos adveniens,
Noctis depelle nebulas,
Dirasque mortis tenebras.

Veni, Clavis Davidica,
Regna reclude caelica,
Fac iter tutum superum,
Et claude vias inferum.

Veni, veni, Adonai,
Qui populo in Sinai
Legem dedisti vertice
In maiestate gloriae.


TRADUÇÃO APROXIMADA:

Ó vem, ó vem, Emanuel!
Redime o cativo Israel
Que geme em triste exílio e dor
Privado do Filho Redentor!

Exulta! Exulta! Eis o Emanuel
Nascido por ti, ó Israel!

Ó Sapiência, Autor do bem,
Em tua glória ao mundo vem
O teu caminho revelar
E a prudência nos ensinar.

Ó vem, ó vem sagrado Adonai!
Que em grande glória no Monte Sinai
Por entre nuvens como um rei
Nos deste, Justo, a santa Lei!

Ó vem, depressa Raiz de Jessé
E aos servos teus renova a fé;
Que possam o inferno dominar
E sobre a morte triunfar!

Vem, Chave de Davi, ó vem
E abre o céu de todo o bem!
Suprema glória nos darás
E o negro Inferno fecharás!

Ó vem, Oriente, iluminar
E nossa noite vem dissipar!
Da luz eterna esplendor,
Afasta as sombras do terror!

Ó vem, não tardes, Rei das Nações,
Vem Redentor dos corações!
Contigo a culpa se desfaz
E os teus servos encontram a paz!


- Harmonização de Zóltan Kodály (1882-1967)




- The Piano Guys:


- Enya:



- Paderborner Domchor:



- Libera:




Recitação das Calendas

A solene proclamação da Kalenda ou Calendas do Natal é um rito que foi incorporado à Santa Missa da Noite do Natal celebrada no Vaticano pelo Santo Padre, o Papa. 
No Vaticano durante o pontificado do Papa João Paulo II, o canto da Kalenda era cantado em substituição ao Ato Penitencial. Atualmente, durante o pontificado do Papa Bento XVI o canto é cantado no final do Ofício das Leituras que é rezado como preparação para a Santa Missa da Noite do Natal; após o canto da Kalenda inicia-se a procissão de entrada.
Que antes de cantar como os anjos na noite santa, a glória de Deus nas alturas e a paz na terra aos homens, proclamemos ou cantemos em nossas paróquias ou comunidades o anúncio do nascimento do Senhor na plenitude do tempo lembrando-nos que Cristo, Redentor dos homens, é o centro do cosmos e da história.


Em português:

Vinte e Cinco de Dezembro. Décima-nona Lua.
Tendo transcorrido muitos séculos desde a criação do mundo,
Quando no princípio Deus tinha criado o céu e a terra e tinha feito o Homem à sua imagem;
E muitos séculos de quando, depois do dilúvio, o Altíssimo tinha feito resplandecer o arco-íris, sinal da Aliança e da Paz;
Vinte e um séculos depois da partida de Abraão, nosso pai na fé, de Ur dos Caldeus;
Treze séculos depois da saída de Israel do Egito, sob a guia de Moisés;
Cerca de mil anos depois da unção de David como rei de Israel;
Na sexagésima quinta semana, segundo a profecia de Daniel;
Na época da centésima nonagésima quarta Olimpíada;
No ano setecentos e cinqüenta e dois da fundação da cidade de Roma;
No quadragésimo segundo ano do Império de César Otaviano Augusto;
Quando em todo o mundo reinava a paz, Jesus Cristo, Deus Eterno e Filho do Eterno Pai, querendo santificar o mundo com a sua vinda, tendo sido concebido por obra do Espírito Santo, tendo transcorrido nove meses, (aqui eleva-se a voz, e todos se ajoelham) nasce em Belém da Judeia da Virgem Maria, feito homem:
Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo a natureza humana.
R. Graças a Deus.


Em latim:

Octavo Kalendas Ianuarii. Undevicesima Octava.
Innumeris transactis saeculis a creatione mundi,
Quando in principio Deus creavit caelum et terram et hominem formavit ad imaginem suam;
Per multis etiam saeculis, ex quo post diluvium Altissimus in nubibus arcum posuerat, signum foederis et pacis;
A migratione Abrahae, patris nostri in fide, de Ur Chaldaeorum saeculo vigesimo primo;
Ab egressu populi Israel de Ægypto, Moyse duce, saeculo decimo tertio;
Ab unctione David in regem, anno circiter milesimo;
Hebdomada sexagesima quinta, juxta Danielis prophetiam;
Olympiade centesima nonagesima quarta;
Ab Urbe condita anno septingentesimo quinquagesimo secundo;
Anno imperii Caesaris Octaviani Augusti quadragesimo secundo;
Toto Orbe in pace composito, Iesus Christus, aeternus Deus aeternique Patris Filius, mundum volens adventu suo piissimo consecrare, de Spiritu Sancto conceptus, novemque post conceptionem decursis mensibus (hic vox elevatur, et omnes genua flectunt), in Bethlehem Iudae nascitur ex Maria Virgine factus homo:
Nativitas Domini Nostri Iesu Christi secundum carnem.
R. Deo Gratias.



Rorate Caeli

O "Rorate Caeli" é considerado uma das mais belas e sublimes composições não só do Advento, mas de todo o repertório litúrgico da história do cristianismo. Seu refrão vem do livro do profeta Isaías (45, 8), em que se suplica: "Que os céus, das alturas, derramem o seu orvalho; que as nuvens façam chover a vitória; abra-se a terra e brote a felicidade e, ao mesmo tempo, ela faça germinar a justiça! Sou eu, o Senhor, a causa de tudo isso".

Em latim: 


Rorate caeli desuper, et nubes pluant iustum!

Rorate caeli desuper, et nubes pluant iustum!

Ne irascaris Domine, ne ultra memineris iniquitatis
ecce civitas Sancti facta est deserta
Sion deserta facta est
Jerusalem desolata est
domus sanctificationis tuae et gloriae tuae,
ubi laudaverunt te patres nostri.

Rorate caeli desuper, et nubes pluant iustum.

Peccavimus, et facti sumus tamquam immundus nos, et cecidimus
quasi folium universi
et iniquitates nostrae, quasi ventus abstulerunt nos
abscondisti faciem tuam a nobis
et allisisti nos in manu iniquitatis nostrae.

Rorate caeli desuper, et nubes pluant iustum.

Vide Domine afflictionem populi tui,
et mitte quem missurus es
emitte Agnum dominatorem terrae,
de Petra deserti ad montem filiae Sion
ut auferat ipse iugum captivitatis nostrae.

Rorate caeli desuper, et nubes pluant iustum.

Consolamini, consolamini, popule meus: cito veniet salus tua
quare maerore consumeris, quia innovavit te dolor?
Salvabo te, noli timere
ego enim sum Dominus Deus tuus,
Sanctus Israel, Redemptor tuus.

Rorate caeli desuper, et nubes pluant iustum.


Em português:

Orvalhai, ó céus, lá no alto,
e as nuvens chovam o Justo!

Não te irrites, Senhor, não te recordes de nossa iniqüidade:
eis que a Cidade do Santo tornou-se deserta,
Sião ficou deserta;
Jerusalém está desolada;
a casa de tua santidade e de tua justiça,
onde te louvaram nossos antepassados.

Pecamos, e nos tornamos como que impuros,
e caímos como toda todas as folhas;
nossos pecados nos levaram como um vento;
tu escondeste teu rosto de nós,
e nos quebraste com nossa própria iniquidade.

Vê Senhor, a aflição de teu povo,
e envia Aquele que estás para enviar;
manda-nos o Cordeiro, Dominador da terra,
desde o deserto até o Monte da Filha de Sião
para que Ele mesmo nos liberte do jugo de nossa escravidão.

Consola-te, consola-te, ó meu povo:
depressa virá a tua salvação.
Por que te deixas consumir pela amargura,
por que persistes na tua dor?
Salvar-te-ei, não tenhas medo,
porque eu sou o Senhor teu Deus,
o Santo de Israel, o teu Redentor.




Alma Redemptoris Mater


Hino medieval composto pelo bem-aventurado Hermann de Reichenau (1013-1054), também chamado Hermannus Contractus, Hermannus Augiensis ou Herman o Aleijado, como nosso Aleijadinho, aliás.

Um de seus hinos a Nossa Senhora é o Alma Redemptoris Mater (Santa Mãe do Redentor) que a Igreja canta habitualmente nos ofícios noturnos, especialmente no Natal e no Advento até a festa da Purificação da Virgem Maria.
Porém, esse hino pode ser cantado em qualquer ocasião do ano.
O Alma Redemptoris Mater glorifica a Maria enquanto Mãe de Jesus, Redentor dos homens. E refere-se a Ela como a “Estrela do Mar”, que é um dos significados de seu nome.
O hino reconhece a virgindade perpétua de Nossa Senhora vários séculos antes da proclamação do dogma da Imaculada Conceição, apresentando-A como a defensora do povo católico.

Em latim:

Alma Redemptóris Mater,
quae pérvia caéli pórta mánes,
et stélla máris,
succúrre cadénti
súrgere qui cúrat pópulo:
Tu quae genuísti, natúra miránte,
túum sánctum Genitórem:
Virgo prius ac postérius,
Gabriélis ab óre
súmens íllud Ave,
peccatórum miserére


Em português:

Santa Mãe do Redentor, porta do céu,
estrela do mar, socorrei o povo cristão
que procura levantar-se do abismo da culpa.
Vós que, acolhendo a saudação do Anjo,
gerastes, com admiração da natureza,
o vosso santo Criador,
ó sempre Virgem Maria,
tende misericórdia dos pecadores.



Adeste Fideles

Hino de natal do séc XVIII, chama o povo cristão a adorar seu Salvador.

Em latim:



Adeste Fideles, laeti triunphantes.
Venite, venite in Bethlehem.
Natum Videte, Regem Angelorum

Venite, adoremus; venite adoremus.
Venite, adoremus Dominum.


Em português:

Correi, ó fiéis, correi,Ágeis, Exultantes!
Oh! Vinde, vamos até Belém.
Vede o Menino, em palhas deitado.

Oh! Vinde ,adoremos! Oh! Vinde, adoremos!
Oh! Vinde, adoremos o Senhor!



- Frei Alessandro


- Voz de Andrea Bocelli



- Voz de Luciano Pavarotti





Outros cantos com tema natalino:

- Hark! The Herald Angels Sing



- Pentatonix - Carol of the Bells



- Pentatonix - Mary, Did you know?



- Loreena Mckennitt - The Bells of Christmas



- Loreena McKennitt - The Wexford Carol


- Libera - Carol of the Bells


- Antífonas Ó



- Carol of the Bells - Amazing Piano Solo - David Hicken



You Might Also Like

0 comentários