Como você quebra o hábito da masturbação?

Tradução por Rogério Schmitt do original How do you break the habit of masturbation?




Oração, paciência e perseverança. Ao começar a batalha, saiba que Deus alegra-Se com o seu desejo de santidade, e que a graça Dele está agindo na sua vida. Ele concluirá a obra excelente que iniciou em você (Fl 1, 6). Venha até Ele em oração e peça insistentemente pela graça da pureza, e especificamente pela superação deste hábito.

A principal oração que você pode oferecer é o santo sacrifício da Missa. Há graça suficiente numa única comunhão para fazer de você um santo. Tire proveito dessa fonte de pureza! Passe um tempo ainda maior em oração pessoal, e fale abertamente a Jesus sobre as suas lutas. Também reze a Ave Maria três vezes por dia, pedindo por pureza de mente, de corpo e de coração. Frequente o sacramento da reconciliação. Leia a Sagrada Escritura. Reze o terço. Percorra as estações da via sacra. E desenvolva uma devoção a São José. Este é um arsenal poderoso contra qualquer pecado.

Na hora de confessar o pecado da masturbação, é compreensível que muitas pessoas se sintam por demais constrangidas em mencioná-lo. Mas entenda que não há pecado que os sacerdotes já não tenham escutado antes. Não é como se você tivesse descoberto e violado o 11º Mandamento! Seja você homem ou mulher, não estará sozinho nessa luta.

Mesmo que precise confessar repetidamente o mesmo pecado, não hesite. O diabo tentará desencorajá-lo, dizendo: “Ei, toda hora você volta ao confessionário com esse pecado. Por que não desiste logo? Você não pode vencer”. Admita que tais pensamentos são uma tentação, e imediatamente comece a rezar. O paciente que se cura é o que mostra as suas feridas para o médico. O confessionário é a caixa do remédio e o Cristo, através do sacerdote, é o médico. Aquele é o último lugar em que o diabo deseja que você esteja. Você está jogando para vencer, e o Senhor não permitirá que você seja arrancado da mão Dele. Você não consegue fazer nada sozinho, mas você pode tudo Naquele que te fortalece (Fl 4, 13). 

Se você tiver qualquer material pornográfico, fotos de mulheres em roupas de banho, ou músicas vulgares, livre-se de tudo isso imediatamente. Em nome do amor, se guarde contra essa contaminação. Substitua essas coisas por músicas cristãs, e decore a sua casa com imagens sacras, especialmente no recinto onde você costuma sucumbir ao pecado. Se você tem o hábito de ver muita TV, encontre outra coisa para fazer, como alguma atividade física. Isso ajuda a aliviar a tensão e torna mais fácil o domínio sobre o corpo. A TV é um ócio repleto de tentações, e é lenha para a fogueira da luxúria. São Roberto Belarmino advertia: “Fuja do ócio, pois ninguém se expõe mais a tais tentações do que aquele que nada tem para fazer” [1]

Para ajudá-lo a ter mais disciplina, imponha-se metas atingíveis. Por exemplo, assuma o compromisso de não se masturbar por três dias, por uma semana, por um mês – ou por tanto tempo quanto pareça razoável. Quando tiver atingido aquele ponto, você terá um sentido maior de confiança na sua capacidade de controlar o próprio corpo. Então, sem ceder novamente à tentação, aumente esse tempo ainda mais e se abstenha por um período maior. Continue assim até ter superado o vício.

Durante esse período de disciplina, faça pequenas mortificações. Por exemplo, coma batatas fritas sem sal, ou não repita as refeições. Estes pequenos sacrifícios o ajudarão a aumentar o autodomínio e o autocontrole. Afinal, sempre somos escravos daquilo que nos domina. É a mesma diferença que existe entre o jóquei sem controle sobre o seu cavalo, o qual fica correndo loucamente por toda parte, e o jóquei que controla o seu animal e, por isso, ele vence as corridas e obedece a ordens. Assim é a pessoa que vive plenamente.

Este tipo de autocontrole é desafiador, mas com a graça de Deus tudo é possível. Se você pedir por pureza, nenhuma graça faltará. Seja paciente consigo mesmo, e não ceda ao desencorajamento. Segundo o Evangelho de Lucas, “É pela vossa constância que alcançareis a vossa salvação” (Lc 21, 19). O prêmio do verdadeiro amor aguarda por aqueles que são verdadeiramente livres, pois eles são os únicos capazes de dar e receber.

Por fim, é sempre útil identificar os fatores que contribuem para o seu hábito. Nós frequentemente presumimos que seja somente a luxúria, mas é muito comum haver outras causas (como o stress, a solidão, o tédio, etc.). 

________________________
[1] São Roberto Belarmino, “A arte de morrer bem”, citado por R. E. Guiley, “The Quotable Saint” (Nova York: Checkmark Books, 2002), pg. 135.

You Might Also Like

0 comentários