O que é Castidade para você? - Por Ana Paula Barros

Recentemente o Apostolado Salus in Caritate realizou uma pesquisa sobre o tema “Castidade”. Este texto tem o objetivo de informar uma parcela dos resultados e fornecer uma breve formação e esclarecimentos sobre os mesmos. Como o tema é amplo e os resultados forneceram dados para desenvolvermos esse tema, teremos uma sequencia de artigos neste blog, no Mel de Moça e no Salus in Caritate.


Introdução


Para que se entenda o que é a Castidade é preciso conhecer os ensinamentos cristãos católicos sobre essa virtude. 

Segundo o CIC 2347 a Virtude da Castidade desabrocha na amizade e ainda “mostra ao discípulo como seguir e imitar Aquele que nos escolheu como seus próprios amigos, se doou totalmente a nós e nos faz participar de sua condição divina. "A castidade é promessa de imortalidade." No noivado os noivos são chamados a vivência a continência, essa provação gera respeito mutuo, aprendizagem da fidelidade e a esperança de se receberem um ao outro das mãos de Deus (CIC 2350).

Mas a vivência dessa virtude se expande e inclui também o matrimônio, com o cultivo da castidade conjugal, já que o Sacramento do Matrimonio faz o homem e a mulher entrarem na vivência da fidelidade de Cristo e sua Igreja, se tornam assim testemunhas desse mistério perante o mundo. A castidade conjugal permite, com uma relação sadia entre homem e mulher a geração de vida e a vivência da fidelidade que é a “constacia na palavra dada”. O casal que é fiel a palavra dada, imita Deus que é fiel (CIC 2365).

A Castidade também é um Dom, uma Graça. Para esclarecimento, Virtude é o esforço na prática do bem e o Dom é infundido pelo Espirito Santo. Todo batizado é chamado a Castidade pois o Espirito Santo concede para todo aquele que é regenerado na agua do Batismo o dom de imitar a pureza de Cristo. No memomento do Batismo nos comprometemos a viver a afetividade na Castidade, a levar uma vida casta dentro do estado de vida (CIC 2345, 2348, 2355).

O auto dominio é uma forma de exercer a castidade, já que aprimorando-o temos maior capacidade de doação. Portanto a castidade leva à caridade, forma máxima de toda virtude, fazendo de quem a pratica sinal da fidelidade divina (CIC 2346). Esse auto dominio pela vivência da castidade como virtude e graça, é chamamento para heterossexuais e homossexuais, "pelas virtudes de autodomínio, educadoras da liberdade interior, às vezes pelo apoio de uma amizade desinteressada, pela oração e pela graça sacramental, podem e devem se aproximar, gradual e resolutamente, da perfeição cristã.” (CIC 2359) Mais sobre o tema Castidade aqui e aqui.


"De todas as virtudes é que nos torna semelhantes aos anjos."
(São João Maria Vianney)

"Não sabeis que vossos corpos são membros de Cristo? ...

Qualquer outro pecado que o homem comete é fora do corpo, mas o impuro peca contra o seu próprio corpo. Ou não sabeis que o vosso corpo é templo do Espírito Santo, que habita em vós, o qual recebestes de Deus e que, por isso mesmo, já não vos pertenceis?

Porque fostes comprados por um grande preço. Glorificai, pois, a Deus no vosso corpo."

I Cor, 6, 15-20

"É o mais belo adorno da Igreja e deveria ser a mais querida dos cristãos."
(São João Maria Vianney)

"É a vida do espírito"
(Santo Éfrem)

"A rainha das virtudes"
(São Pedro Damião)
"Por meio dela se alcançam os triunfos mais esplêndidos" (São Cipriano)

Resultados


Foi aplicado questionário dissertativo online para homens e mulheres em anonimato, totalizando 100 individuos. 

Para facilitar a triagem, as respostas à pergunta O que é Castidade para você? foram separadas em grupos:

Amadurecimento e Auto dominio: as respostas possuem a palavra amadurecimento espiritual, tempo que visa amadurecimento, esperar, auto dominio e auto conhecimento (antes e depois do casamento).

Não ter relação sexual: as respostas possuem “não fazer sexo até o casamento”, “não ter relação sexual”.

Preservar o corpo: as respostas possuemvalorizar o corpo”, “somos Templo de Deus”, “morada do Senhor”, “guardar-se”, “respeitar a si mesmo e o próximo”.

Outros termos também foram ditos, em menor número: “estilo de vida”, “ser inteiro de Deus”, “castidade é decisão”, “ um castigo”, “Deus quis”, “Preceito de Deus”, “tudo em relação ao sexto mandamento”.



Conclusão


Pelas definições do Catecismo e da Tradição da Igreja Católica Apostolica Romana podemos notar que a virtude da castidade possui formas de vivência gradual. A continência, deve ser vivênciada no noivado. O namoro deve ser o aprofundamento no conhecimento pela amizade, território que faz florescer a castidade. Mas a continência, não ter relação sexual, é uma parte da prática da castidade. Como uma virtude se expande para o matrimônio, numa castidade conjugal que demonstra a fidelidade de Deus espelhada na fidelidade do casal. Além disso, é uma virtude que leva ao exercicio da caridade, pois pelo auto dominio de si mesmo é possivel doar-se e tornar possivel amar o próximo, chegando assim a perfeição da vida cristã. Para essa vida todos somos chamados, pois o batismo planta em nós a castidade como dom do Espirito Santo que nos dá toda a condição de imitar a pureza de Cristo. Pois, os puros verão a Deus.

Através desse questionário percebemos que a maior parte dos questionados percebem a Castidade como forma de amor, a Deus e ao próximo, ou seja, como Caridade. Sendo esta visão vivênciada no respeito pelo próprio corpo e pelo corpo do próximo que é Templo e Morada do Senhor. 



You Might Also Like

0 comentários