Série: Como um homem deve tratar uma mulher - I

Nesta breve série de postagens, pedi aos meus amigos para responderem à pergunta: "Como um homem deve tratar uma mulher?".  As respostas veremos aos poucos!
Começando com o meu querido amigo Bruno Tassim, namorado da minha também querida amiga Larissa, ambos da minha cidade. Pessoas íntegras e bons católicos. Obrigada pela resposta!

-----------------------------------------




“Como um homem deve tratar uma mulher?” 
Para responder a essa pergunta-tema, falarei antes sobre algo divino que carregamos por herança: o amor. Ainda que muitas vezes seja sepultado, na simplicidade ele ressuscita, em silêncio fica para não ser percebido antes do tempo e se manifesta no momento certo. Uso aqui um versículo retratado em minha vida: “Ainda que tivesse sabedoria e fé, e não tivesse amor, nada seria”. Com o tempo, tudo de belo se resgatou e ganhou novo sentido. Uma linda amizade deu origem ao namoro, fez renascer em mim o amor e hoje me faz muito mais feliz e humano. 

Somos a criação dotada de racionalidade e refletir é necessário. Não fomos criados para a solidão. Para o homem, Deus criou o mais belo ser e a chamou de Mulher. Pela união tornam-se um e, como tudo o que se une, também necessitam de cuidados para que não se separem. A finalidade do namoro é o matrimônio e sonhos estão contidos ali, portanto deve ser tratado com decência pelo casal. A vigilância deve ser constante para que não aconteçam desentendimentos e brigas, afinal, a vida não é feita somente de coisas boas. Dificuldades podem aparecer e, por mais que pareçam impossíveis de serem superadas, com apoio mútuo e persistência, os planos se concretizam; frustrações surgem de grandes expectativas não correspondidas, então não cobre demais, entenda que o outro é diferente e não faça comparações; atente-se às falsas amizades para que estas não envenenem seus pensamentos e mudem suas escolhas; ambientes impróprios incitam más condutas, logo, devem ser evitados; redes sociais conectam pessoas, mas não devem ser usadas como vitrines de exposições vaidosas, pois geram ciúmes e desconectam a confiança; vícios tomam o lugar das coisas dignas, desfazem os laços que o amor cria e deixam um rastro de tristeza pelo caminho; mentiras são inimigas de qualquer história cujo enredo seria a felicidade e o transforma em decepção; o orgulho se disfarça de amor-próprio, anula a compaixão, profere palavras agressivas ou usa do silêncio para castigar a quem não lhe agrada; o sexo nunca deve ser o alicerce da união, porque este quando vem a faltar, leva embora o amor. Não esqueça que o amor “tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta”. 

Aprendi muito com os exemplos que vi, conselhos que recebi e tirei ensinamentos também de tudo que já vivi. Ainda sobre os exemplos acima, o conselho que dou é que se substitua o que é prejudicial por aquilo que é respeitoso no trato do homem para com a mulher e da mulher para com o homem. Em especial ao trato com a mulher, respondo aos homens a pergunta feita lá no início: mulheres não são máquinas e incessantes rotinas são prejudiciais. Elas são como flores que precisam de cuidados para que floresçam. Mas ofereça mais: dê carinho em abundância por amor e não por obrigação, seja grato a tudo o que ela fizer pensando em você, recorde datas particulares de vocês e faça surpresas até mesmo em outras datas, demonstre interesse nela e em saber como foi o dia dela, preocupe-se também com as preocupações dela e se ofereça para ajudá-la, seja sincero em cada palavra que dirigir a ela, monitore seu vocabulário para que não a ofenda e para que palavras imorais não passem a fazer parte das conversas, diga o quanto a ama pelo menos uma vez ao dia, seja fiel a ela assim como deseja que ela seja a você, faça planos com ela sobre construir um lar e uma família e realize junto cada etapa dos planos. Aprenda, por fim, que a beleza dela está muito além das aparências... As virtudes são os verdadeiros encantos! “Como as pérolas se ligam por um fio, assim as virtudes, pelo amor”. 

Grato pelo convite recebido, 

Bruno Tassim – amigo, leitor e fã

You Might Also Like

0 comentários