Carnaval: diversão, mortificação e oração - Modéstia e Pudor

Carnaval: diversão, mortificação e oração

Carnaval: diversão, mortificação e oração

Para variar, este texto está um tiquinho atrasado rs. A ideia veio tardia, mas em vez de esperarmos o ano que vem, decidimos publicar algo este ano mesmo.

Muita gente tem dúvidas sobre o carnaval. Será que um católico pode mesmo se divertir ou a festa é muita pagã para nós, enfim... O que convém e o que não convém?

Carnaval - assim como festas, baladas, barzinhos e afins - todas essas opções podem ser divertimentos bons e ruins, a depender de vários fatores: ambiente, pessoas e você! Sim, você! Se você é um recém-convertido ou um adolescente, há grandes chances de você não se comportar bem a depender do local que você irá e com quem você vai estar. Um divertimento é considerado sadio quando não atenta contra a fé nem as virtudes cristãs.  

Para algumas pessoas, é possível passar um excelente carnaval entre amigos em uma chácara. Para outros, o carnaval é um ótimo momento para praticar esportes, visitar locais históricos, fazer passeios familiares. Algumas pessoas gostam muito do carnaval em clubes e na rua, com familiares e amigos, músicas populares e conversas sadias. Há também aqueles que gostam dos blocões com trios elétricos que, apesar de aparentemente serem complicados e possíveis ocasiões de pecado, é difícil generalizar e afirmar que 100% desses locais são ruins. A questão é que estes divertimentos citados podem ou não ser ocasiões de pecado, a depender de cada pessoa, suas virtudes, sua vida espiritual, o quanto ela é mortificada ou não etc.

Certa vez um diretor espiritual que tive, monge beneditino, disse:

"Quem não consegue se conter nesses ambientes, é melhor não frequentá-los. Por vezes, o que não é inconveniente para uma pessoa, é para outra. Por outro lado, divertir-se sadiamente nesses locais com amigos não cristãos pode ser também uma ocasião para você testemunhar sua fé, demonstrando que para ser discípulo de Jesus não é preciso ser chato e antissocial. Em outras palavras, o Evangelho pede que o cristão seja puro, não puritano (algo próprio das seitas, não do catolicismo)."

É por isso que sempre convém a virtude da temperança e o bom senso, algo difícil de encontrar na maioria das pessoas, mas que é possível conseguir com formação, oração e Graça de Deus!

Mesmo que você, ao invés de ir a um retiro de oração, decida fazer algum divertimento sadio com seus amigos, não se esqueça da oração diária (terço), da Santa Missa e de uma leitura espiritual. É isto que irá te fortalecer para ter discernimento, temperança e bom senso em todos os lugares que for e com todas as pessoas que conversar.

Mas há outra questão que se interpõe especialmente neste período de carnaval: os pecados cometidos nesta época. 

Santa Teresa dos Andes diz:

Nestes três dias de carnaval tivemos o Santíssimo exposto desde a uma, mais ou menos, até pouco antes das 6h. São dias de festa e ao mesmo tempo de tristeza. Podemos fazer tão pouco para reparar tanto pecado (Carta 162).

Da mesma forma, conta-se na hagiografia de São Pedro Claver:

"Um oficial espanhol viu um dia São Pedro Claver com um grande saco às costas.
— Padre, aonde vai com esse saco?
— Vou fazer carnaval; pois não é tempo de folgança?
O oficial quer ver o que acontece: acompanha-o.
O Santo entra num hospital. Os doentes alvoroçam-se e fazem-lhe festa; muitos o rodeiam, porque o Santo, passando com eles uma hora alegre, lhes reparte presentes e regalos até esvaziar completamente o saco.
— E agora? – pergunta o oficial.
— Agora venha comigo; vamos à igreja rezar por esses infelizes que, lá fora, julgam que têm o direito de ofender a Deus livremente por ser tempo de carnaval."

Santo Afonso de Ligório escreve:

"Nestes tristes dias os cristãos, e quiçá entre eles alguns dos mais favorecidos, trairão, como Judas, o seu divino Mestre e o entregarão nas mãos do demônio."

Infelizmente muita gente pensa que carnaval é desculpa para beijar todos, fazer sexo com desconhecidos, ficar bêbado e não lembrar de mais nada, usar drogas e andar quase pelado(a) por aí. Por esses devemos rezar e oferecer orações e mortificações em reparação aos pecados cometidos. Como leigos, muitas vezes passaremos esta época do ano com os amigos e a família - como já exposto neste texto - ao mesmo tempo que temos o dever de discretamente nos mortificarmos e rezarmos por estas pessoas. Como conciliar o laicato com estas discretas orações e mortificações?

1) Sugere-se acordar cedo para a Santa Missa diária. O próprio sacrificio de acordar cedo será uma mortificação e a Santa Eucaristia pode ser oferecida em desagravo aos pecados cometidos e também pela conversão dos seus familiares e amigos. Provavelmente o horário que você for à missa é um horário que todos estarão dormindo, o que fará sua oração e mortificação passar oculta.

2) O terço pode ser rezado em no máximo 15 minutos enquanto todos descansam após o almoço, ou mesmo em algum momento que estão dispersos. Se tiver algum amigo ou familiar mais devoto, convide-o para rezar com você.

3) Você pode deixar de tomar bebida gelada e preferir uma bebida em temperatura ambiente, o que também caracteriza-se como uma discreta mortificação.

4) Algum doce ou sobremesa pode ser recusado em algum momento do dia, e este sacrifício ser oferecido.

5) Terço das Lágrimas de Nossa Senhora Rosa Mística, indicado pelo diretor da Carol Maldaner: simples, profundo e reparador. Muito rapidinho de se rezar!

6) Comer alguma comida que não se gosta, e também oferecer o sacrifício!

Não precisamos ser estranhos, esquisitos ou chatos nesta época. Podemos nos mostrar legais, gentis, equilibrados e divertidos, utilizando sempre as virtudes e nos fortalecendo pela Graça, de modo a mostrar a todos que o seu carnaval é muito bom e muito mais alegre, exatamente porque você soube se divertir sadiamente!

-------------------------------------

Veja também:

Letícia B

A partir da necessidade de me aprofundar em assuntos de filosofia, sociologia, antropologia, e da relação destes com virtudes e religião, surgiram alguns textos que humildemente compartilho neste blog. leticia@modestiaepudor.com

POSTS relacionados

Já temos 2 comentário(s). DEIXE O SEU :)
Alexandre Ferreira

Alexandre Ferreira

Acho que o católico deveria evitar carnaval de rua e desfiles de escola de samba, impossível frequentar esses lugares sem pecar.
★★★★★DIA 12.02.18 20h45RESPONDER
Christian Pacheco
Enviando Comentário Fechar :/
Letícia B

Letícia B

Oi, Alexandre! Tudo bem? Obrigada por seu comentário.


Nossa meta é o céu, é sermos santos: isto tem que ficar bem claro para todo mundo.


Como faremos isso? Nossa vida é um meio de ir ao céu. Podemos ir ao céu por meio do matrimônio, pelo celibato, pela vida consagrada, pelos estudos... Enfim, há inúmeros caminhos para o céu, e todos são caminhos, meios.


Minha vocação está ligada à santificação do cotidiano na minha vida de leiga. Eu tento me aproximar das pessoas que estão ao meu redor e levá-las para mais perto de Deus. Muitas vezes são essas oportunidades de festas e diversão que me levam a fazer novas amizades. Como escrevi no texto, isto não é para todo mundo. Não significa que sou melhor que os outros, apenas que é algo que Deus me inspira - e que está de acordo com o Magistério.


Como comentado, não são TODOS os divertimentos carnavalescos lícitos e morais, mas também não podemos dizer que todos não são. Boas amigas católicas já me falaram de blocos de rua que eram familiares e moralmente lícitos. É claro que desfiles de escolas de samba com pessoas nuas não são moralmente aceitáveis. Mas em cidades pequenas deve haver carnavais de rua mais sadios. Em minha cidade no domingo mesmo participei de um carnaval na praça muito tranquilo e familiar.


Não quero generalizar, mas conto com o bom senso dos leitores, que bem conhecem este blog, para analisar cada situação e serem honestos que se algo não convier, é melhor que nos afastemos.


Grande abraço!

★★★★★DIA 13.02.18 16h54RESPONDER
N/A
Enviando Comentário Fechar :/
Enviando Comentário Fechar :/

Instagram